Bem-vindos ao futuro dos Transportes

transportesCom a massificação da IoT será possível não só apresentar campanhas personalizadas aos clientes mas também fazer uma gestão mais eficaz dos equipamentos (diga-se carruagens de comboio, aviões, autocarros..).
A mudança já chegou. Está preparado para ela?

É um sonho recorrente. Ter sempre o transporte desejado, à hora certa, e com as condições ideais. Algo que nem sempre ocorre. Seja pelas condições climatéricas, porque há trafego, pela manutenção dos equipamentos… Mas este cenário algo caótico está prestes a mudar. E tudo se deve a uma coisa: dados. Mais precisamente à Internet das Coisas (IoT).

Como? Simples. Porque com a disseminação da IoT quase todo o equipamento com acesso à internet pode ser usado como um sensor inteligente, capaz de recolher e transmitir dados como a temperatura, pressão, velocidade, nível de emissões, condições climatéricas, localização… dados importantes para que as empresas possam fazer não só a gestão quotidiana da sua rede, mas também ao nível da manutenção dos veículos, sejam comboios, aviões ou outros.

Isto do lado das transportadoras. Mas a IoT também traz mudanças para o utilizador final. Este passa a ter maior controlo e passa a conseguir, por exemplo, ter acesso a campanhas/promoções personalizadas. À medida que os sensores disponibilizam os dados, as empresas sabem mais sobre os seus clientes. E, com isto, conseguem dar um produto/solução mais adequado às suas necessidades. Sejam bem-vindos à era da personalização!

Segundo um estudo levado a cabo pela Tata Consultancy Services as indústrias de hotelaria e de transporte aéreo são as que estão a liderar em termos de adopção da IoT. E os valores do investimento são mais do que significativos: no ano passado, e segundo o relatório, as empresas investiram em média 128,9 milhões de dólares em iniciativas relacionadas com a IoT ou, dito de outra forma, 60% das receitas.

Mas, para que tudo corra de feição, as empresas têm de investir em infra-estruturas de backoffice. Têm de estar preparadas para a quantidade de dados que será produzida. Tudo irá depender da recolha, autentificação e gestão dos dados. Saber priorizar e extrair informação útil, algo que só é possível com as ferramentas certas. Uma combinação de big data, analíticas e visualização de dados.

Se ficou curioso sobre o impacto da IoT, pode saber mais lendo este white paper gratuito onde são revelados alguns exemplos da aplicabilidade de IoT em algumas industrias. “The Internet of Things – Opportunities and Applications across Industries”.

Deixar uma resposta