Dicas para contratar data scientists

Data Scientist

Descubra como recrutar aquele profissional (data scientists) que irá fazer toda a diferença. Que conseguirá analisar os mil e um dados disponíveis, extrair informação útil e pertinente e ainda comunica-la de forma clara.

Vivemos na era da informação. Na era dos dados. E por isso mesmo é cada vez mais imprescindível o recurso a técnicos especializados. Que consigam dar significado aos dados. Extrair padrões e informações úteis. Que as empresas possam utilizar no seu negócio como factor diferenciador.

Mas as perguntas que se colocam é: tendo em conta a novidade da função como contractar um Data Scientist? Quais as skills essenciais a essa função? Qual o perfil de um Data Scientist?

Para responder a todas estas questões (e a muitas outras) nada como falar com um especialista. Como John Taylor que lidera uma equipa de Data Scientists na Texas Parks e na Wildlife Department. Para este especialista qualquer empresa que trabalhe com tecnologia e processos de negócio terá de contratar um Data Scientist.

Não é fácil encontrar o data scientist certo. Ele (ou ela) precisa não só de ter os conhecimentos técnicos, mas também certas características de personalidade. Um exemplo? Tem de ser curioso, persistente e com apetência para resolver problemas (ou pelo menos para tentar encontrar uma solução), aberto à mudança e muito bom comunicador. É certo que a maioria dos data scientists têm um background em estatísticas ou analíticas, mas é preciso mais do que apenas os conhecimentos técnicos. Um bom data scientis consegue usar esses conhecimentos para extrair informação útil e pertinente e comunica-la de forma adequada.

Para quem pensa que isto não lhe diz respeito. Que vai ter tempo para pensar no assunto… talvez seja melhor mudar de ideias. O tempo de actuar é AGORA. Porque depois pode ser tarde. Quer porque a procura por este tipo de profissionais está a crescer a um ritmo muito acelerado (em 2018, e só o mercado norte-americano, haverá entre 140 mil a 190 mil postos por preencher – por falta de recursos humanos, segundo dados da McKinsey) quer porque, nessa altura, não só será difícil encontrar/contractar um data scientist como estes serão pagos a peso de ouro. Mas, mais grave, poderá ter sido ultrapassado pela concorrência.

Convencido? Ok, então o passo seguinte é o de procurar o profissional certo no mercado e efectuar a contratação. O que não é fácil. Trata-se de uma função relativamente recente. Para o ajudar o SAS desenvolveu um whitepaper com informação muito útil. Uma espécie de guia de contratação de um data scientist. Lá tem tudo o que precisa para encontrar o profissional certo para a sua empresa. Desde as 20 perguntas chave para recrutar um data scientist, às questões técnicas a efectuar aquando da entrevista. Sem esquecer, é claro, o teste prático e as questões focadas na vertente vocacional.

E não pense que é uma leitura massuda ou aborrecida. Nada disso. São 17 páginas com informação útil, concisa e muito prática. Que não só se lê num instante como efectivamente ajuda-o na sua busca por um data scientist. Por isso… porque espera?

Pode descarregar o “Your data scientist hiring guide” AQUI.

Deixar uma resposta