EDP, um Exemplo de Data Governance

123507835Os dados têm vindo a assumir uma importância cada vez maior na gestão das empresas, sendo vistos como um activo bastante valioso e utilizados como base para tomada de decisões e potenciação do negócio.

Acontece que as organizações lidam, cada vez mais, com grandes volumes de dados, o que levanta dificuldades ao nível da sua gestão e do seu processamento, pelo que é fundamental que as empresas estejam dotadas de ferramentas actualizadas e capazes de garantir a qualidade e a manipulação dos dados, respeitando as políticas de governo de dados.

Veja-se o caso da EDP que, actuando na indústria das utilities, conhece bem a necessidade de se manter actualizada, uma vez que os dados são um dos seus activos mais valiosos. Numa empresa internacional que actua num mercado altamente dinâmico e competitivo, com uma carteira de clientes de aproximadamente 10 milhões de electricidade e 1 milhão de gás em todo o mundo, a gestão deste activo deve ser uma das prioridades estratégicas.

Lúcia Grade, directora do Gabinete de Governo de Dados e Garantia de Receita na EDP Soluções Comerciais do Grupo EDP, referiu no SAS Fórum 2014 que a empresa apostou na implementação de uma área de Governo de Dados (Data Governance) para garantir a qualidade, exactidão, consistência, disponibilidade e segurança dos dados do Grupo. A especificidade do negócio da EDP significa que os dados resultam de um complexo sistema de interacções com os seus clientes e stakeholders, gerando, por um lado grandes volumes de dados com estruturas complexas, e por outro a exigência de rigorosos processos de governo de dados com vista à potenciação do valor deste activo.

A solução encontrada pela EDP, no âmbito da qualidade de dados, foi a implementação do SAS Data Governance, que permite a monitorização online da qualidade e da segurança dos dados, através de uma parametrização flexível de regras de validação sobre várias bases de dados actualizadas sem prejudicar o normal funcionamento dos sistemas.

As regras parametrizadas, que têm como objectivo detectar eventos anómalos nas bases de dados, têm duas finalidades distintas:

  • Geração periódica de alertas, com intervalos de tempo definidos, que são enviadas directamente para as áreas operacionais, para satisfazer as necessidades de qualidade e integridade de dados.
  • Desenvolvimento de estudos, focadas em regras de negócio e na consistência das mesmas, garantindo a maximização da receita do grupo.

São evidentes os ganhos resultantes desta aposta para o Grupo EDP e para os seus clientes estando o investimento compensado por um retorno em dois anos de mais de 50 vezes o investimento.

O Data Governance revela-se assim uma área fundamental e potenciadora da eficiência e competitividade das empresas.

Lúcia Grade, EDP
Lúcia Grade
Directora do Gabinete de Governo de Dados e Garantia de Receita
EDP Soluções Comerciais do Grupo EDP

 

 

 

** Se tem interesse nestas temáticas de Data Governance, recomendamos o download gratuito do e-book
“The Intersection of Big Data, Data Governance and MDM”

 

 

Deixar uma resposta