Marketing lidera a transformação digital nas empresas

ebook_mktNem sempre é fácil definir as tarefas de um marketer tendo em conta a velocidade de mudança a que assistimos. A tecnologia traz novos desafios e há que saber acompanhá-los. A pensar nessa e noutras temáticas o Electronic Business Group, em parceira com o SAS e a Deloitte, efectua, todos os anos, um estudo, intensivo, sobre o desenvolvimento e os desafios desta profissão.

Este ano entrevistou 100 CMOs, provenientes de Organizações como: Açoreana Seguros; Yahoo!; Banco Sabadell; Sephora; Club Med; Orange; Nestlé, Saint-Gobain entre outras, e o resultado do estudo está compilado neste eBook, As Melhores Práticas de Marketing.

O trabalho diário de um marketer incide em cinco categorias:

  • Compreender e satisfazer o cliente
  • Trabalhar o marketing mix;
  • Transformar o marketing e a empresa;
  • Contribuir para o crescimento da companhia;
  • Aumentar a eficiência.

E o que se verifica é que os marketers passam a maior parte do tempo a resolver os problemas habituais do negócio: a criar valor, a satisfazer o consumidor…

Acontece que essa não é a única interpretação. Olhando ao pormenor, verifica-se que, actualmente, há uma maior preocupação em resolver os chamados pontos fracos, do que em alinhar nas novas tendências. Ou seja, actualmente a carga de trabalha apenas permite reagir ao mercado e não a antecipá-lo.

A situação financeira e a convulsão nos mercados talvez justifique este cenário. O importante é que os marketers entrevistados enfatizaram a importância de compreender o mercado, de desenvolver os produtos certos, de os etiquetar com o preço adequado ao crescimento do negócio e de compreender o cliente.

São os chamados fundamentais do marketing. Que, como relembra Eric Vessier, Functional Advisor, Solutions Integrated Marketing Management no SAS, se irão manter os mesmos, mesmo que as ferramentas estejam a mudar.

Mudanças que surgem lentamente e que estão ligadas novas formas de explorar os dados e a ajudar a compreender e satisfazer os consumidores. Como refere o estudo, se o conhecimento do cliente for mais preciso consegue-se comunicar de uma forma mais personalizada e, com isso, transformar toda a relação.

“Na era da Internet das Coisas, quando o produto é menos importante do que o serviço, a propriedade menos decisiva do que a utilização, onde por vezes os produtos/serviços gratuitos são mais rentáveis do que os pagos, e onde a distribuição ocorre tanto no mundo físico como digital, o marketing tem de, constantemente, criar novas abordagens, focadas na experiência do cliente.

Mouloud Dey, director de soluções e mercados emergentes no SAS

A crescente importância do consumidor/cliente nas estratégias das empresas tem outra consequência: o departamento de marketing ganha poder e torna-se central. Chegando mesmo, nalguns casos, a assumir o papel de embaixador do consumidor.

Mas isso só é possível com a estreita colaboração com outros departamentos, nomeadamente com o de TI. Hoje a tecnologia é vista mais como um parceiro do que como um fornecedor. E a aposta das empresas do sector em disponibilizar soluções user friendly tem ajudado nessa visão. Hoje um marketer consegue trabalhar com analíticas e obter uma visão geral do negócio sem ser obrigado a frequentar cursos técnicos ou recorrer ao departamento de TI.

“A revolução do marketing é a revolução dos dados e a sua utilização”.

Mouloud Dey, director de soluções e mercados emergentes no SAS

Esta “parceria” é essencial para disponibilizar, por exemplo, novos canais de venda, assentes em plataformas digitais. Sendo que é essencial que todos os componentes digitais estejam perfeitamente integrados nos processos de negócio da organização.

Pode obter mais informações e ler o resultado das entrevistas feitas a 100 CMOs, provenientes de Organizações como: Açoreana Seguros; Yahoo!; Banco Sabadell; Sephora; Club Med; Orange; Nestlé, Saint-Gobain entre outras.
As Melhores Práticas de Marketing – eBook da Empresa de Consultoria EBG

Deixar uma resposta