O Nosso Primeiro Voo

O primeiro voo

Este artigo foi escrito pelos alunos da Universidade do Minho, André Silva, Márcia Carvalho e Joana Mesquita,
em resposta ao desafio que o SAS lhes lançou para partilharem com esta comunidade
a sua experiência de 1ª vez no SAS Fórum Portugal.

A ida ao Fórum do SAS 2015 começou com uma simples ideia que nos foi partilhada pelo professor Jorge Vaz Oliveira Sá, do Departamento de Sistemas de Informação da Universidade do Minho.

A nosso ver um congresso desta envergadura aparentava ser somente destinado diretamente para empresas, ponto que inicialmente era considerado um obstáculo. Mas, como nenhum risco corríamos em tentar esta oportunidade, decidimos contactar o SAS, no qual obtemos resposta por parte da Sofia Real, Executiva de Marketing do SAS Portugal. Toda esta experiência, foi-nos possível graças a um simples pedido da nossa parte, três meros alunos da Universidade do Minho dos cursos de Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão de Sistemas de Informação e Mestrado Integrado em Engenharia Informática.

Ficámos estupefactos a receptividade do SAS, pois para nós era um acontecimento tão grande, que nos foi entregue de mãos abertas.

E foi assim que tudo começou, dentro de um autocarro às 4:00 da manhã e depois num avião às 6:30, tudo para chegarmos ao SAS Fórum 2015 e adquirirmos experiências e ambientes diferentes do que estamos habituados.

Chegámos ao espaço pelas 9 horas, depois da sessão de Boas-Vindas apresentada por Luís Bettencourt Moniz, Diretor de Marketing do SAS Portugal, e da primeira palestra de Fernando Braz, Diretor de Executivo da SAS, no âmbito do “Giving Everyone The Power to Know”.

Muitas palestras seguiram de vários oradores prestigiados, desde Vitor Bento, David Leon e por fim, mesmo antes do almoço de Peter Hinssen, que para nós, e não querendo desta forma tirar algum crédito dos outros discursados, foi sem dúvida aquele que conseguiu despertar a maior atenção com as suas grandes publicações e interesses em variadas áreas de estudo com o seu glorioso formato “The Network Always Win”.

Após almoço e durante o tempo livre que tivemos durante palestras surgiu-nos a oportunidade de poder trocar palavras com vários representantes de empresas incluindo Accenture Digital, Esri Portugal, GCI, GSTEP, HP/Intel, KPMG e MindSource.

Foi muito positivo o acolhimento por parte destas entidades, sem deixar de referir, em geral, o grande interesse que também demonstraram em querem intervir, colaborar e deslocarem-se à nossa universidade para poderem expor não só conhecimento e os seus produtos/ferramentas como também oportunidades de emprego e estágio.

Só nos encontrávamos a meio do programa e já tínhamos atingido o nosso principal objectivo, estabelecer contacto com as mais diversas empresas da nossa área, dando uma breve noção do que é o mundo do trabalho!

Muitas mais palestras e coffee breaks se seguiram incluindo temas apresentados por Suneel Grover, do SAS e por Luís Maranhão, da AXA.

Com o fim já a bater à porta tivemos ainda tempo, durante os vários networkings, de trocar algumas palavras com representantes do SAS e obter algumas respostas às múltiplas dúvidas que tínhamos como alunos prestes a entrar no mercado de trabalho.

O término assim chegou e com ele veio, como surpresa, o célebre David Fonseca, o qual fechou este congresso apresentando-nos o caminho que ele percorreu desde o início de carreira até ao momento com vários momentos de humor, arte e música.

Resta-nos assim dizer que houve uma enorme dificuldade em escolher quais as palestras a assistir, dado que todos os temas nos despertavam a atenção.

A mensagem que queremos deixar pretende realçar o facto de que este congresso tem uma maior extensibilidade e margem no que toca ao tipo de entidades que têm acesso a este. A forma como fomos recebidos e o facto de sermos ouvidos e ouvirmos as mais diversas entidades mudou totalmente o conceito que tínhamos de um congresso desta proporção, fica aqui uma palavra de agradecimento a todos.

Esta foi apenas uma prova de que tudo depende da motivação, interesse e busca incessante de novos conhecimentos e experiências, através destas tudo se consegue. Nós alunos, jovens, somos como todos dizem o “Futuro” e acreditamos que este dito “Futuro” poderá trazer grandes surpresas ao nível do desenvolvimento tecnológico (e não só), se para isso formos integrados da melhor forma neste tipo de atividades.

Abram as portas!

primeirovoo
Da esquerda para a direita:
André Silva
Márcia Carvalho
Joana Mesquita

 

 

 

Tudo depende da motivação, interesse e busca de novos conhecimentos e experiências, através destas tudo se consegue! Click To Tweet
Nota: este artigo foi escrito pelos alunos da Universidade do Minho, André Silva, Márcia Carvalho e Joana Mesquita, em resposta ao desafio que o SAS lhes lançou para partilharem com esta comunidade a sua experiência de 1ª vez no SAS Fórum Portugal.

 

Deixar uma resposta