Prevenção de Fraude? Utilize ferramentas de análise, como faz a Autoridade Aduaneira Irlandesa.

FraudeA situação económica europeia leva a que as empresas e principalmente os governos estejam particularmente atentos a melhorias de eficiência – fazer mais com menos. Sendo que uma das situações preocupantes e com impacto directo nos números são os casos conhecidos de fraude.

No entanto há que contar ainda com os casos não conhecidos. As autoridades têm agora de actualizar os seus métodos tradicionais, passando a utilizar ferramentas mais avançadas, não só com o intuito de detectar o máximo número possível de situações fraudulentas mas também o de o tentar fazer o mais depressa possível. Ou seja, ainda num estágio menos avançado, procurando eliminar rapidamente as suas consequências.

A solução encontrada foi a de utilizar uma combinação de ferramentas de Data Mining e analíticas, ou de análise. Estas têm a vantagem de não só actuar na detecção de situações fraudulentas mas também de permitir a melhoria dos processos de negócio, obtendo uma melhor compliance, reduzindo o erro e o desperdício e possibilitando a disponibilização de um melhor serviço ao cidadão.

Mas como é que tudo funciona? De uma forma simplista as ferramentas de Data Mining, combinadas com Analytics, vão analisar todos os dados recolhidos pela Administração, tipicamente as Finanças, com o objectivo de detectar padrões. E são estes padrões que indiciam potenciais situações de fraude assim como assinalam outros temas, como a estimativa do retorno dos impostos ou mesmo a descoberta de erros nos processos.

Dar sentido aos dados. É essa a função da Data Mining (quando combinada com Analytics).

Isto permite que as autoridades não só consigam actuar mais rapidamente, chegando mesmo a evitar situações problemáticas, mas também. e principalmente, aumenta a sua eficiência e eficácia. Porque os modelos preditos não apenas assinalam as fraudes. Permitem que se definam prioridades de acordo com o seu impacto negativo e os recursos necessários para a resolver. Ou seja, feitas as contas há uma melhor alocação dos recursos das autoridades, o que se traduz no incremento da eficácia e na dissuasão de futuras fraudes. Todos ganham (menos os criminosos).

Que o diga a Autoridade Aduaneira Irlandesa que utiliza as técnicas preditivas, nos seus sistemas transacionais, em tempo real, não só para detectar erros mas principalmente, fraudes.

Em última instância, são os contribuintes e cidadãos que beneficiarão se o setor público adoptar estas técnicas de análise como parte do seu quotidiano. Por isso, se as analíticas podem ajudar a reduzir a fraude, erro e desperdícios, os contribuintes merecem nada menos do que isso.

Duncan Cleary, estatístico Sénior na Receita Tributária e Aduaneira do governo irlandês.

Pode obter mais informações sobre a utilização de ferramentas preditivas pelo Governo Irlandês, leia aqui a história de sucesso completa.

Deixar uma resposta