Simplificar o Hadoop

HadoopLogoO ecossistema Hadoop está a crescer a nível mundial. No entanto isso não significa que não existam constrangimentos à sua adopção. Mas estes estão a ser ultrapassados e há cada vez mais empresas a enveredar por esta via para conseguir eficazmente processar a informação.

Para se ter uma ideia recentemente foram publicados dois estudos da TDWI e da Gartner que demonstram que o processo é irreversível.

Como refere Rui Rosa, Business Solution Manager no SAS, o Hadoop está a crescer no mercado. A informação é disponibilizada pelos distribuidores que indicam bons números quer em relação ao crescimento (acima de 5%), clientes, assim como a adopção desse mercado. Sendo que há referencias  em todos os segmentos

Mas há mais dados importantes a reter (para quem ainda está reticente ou tem alguma dúvida): segundo a TDWI não só a adopção do Hadoop é transversal a todas as áreas da industria como, dentro das próprias organizações deixou de ser algo apenas inerente às áreas departamentais. Ou seja começa a ser adoptado pelo mainstream.

A segunda conclusão, refere Rui Rosa, prende-se com as taxas de adopção. “Comprando os números de 2012 com os de 2014 verifica-se que há elevadas taxas de adopção especialmente dos projectos que já estão em curso e aos que estão em planeamento dentro de um ano. O estudo indica taxas de crescimento de 60% nesses dois anos.”

Mas tão ou mais importante é a validação de que o Hadoop não vai substituir aplicações antigas. O seu objectivo é o de resolver projectos, nomeadamente na área das analíticas.

A Gartner, por seu lado, abordou uma outra questão: quem tem ou tenciona vir a ter uma iniciativa de Hadoop?
E a resposta foi que 26% dos inquiridos afirmaram já ter um projecto de Hadoop, 11% têm planeado pelo menos uma iniciativa no espaço de 1 ano, e 7% no espaço de 2 anos. “Isto significa que 44% do mercado já têm ou tenciona vir a ter no espaço de 2 anos uma iniciativa de Hadoop”, afirma Rui Rosa.

Os números da Gartner são mais conservadores. É certo. No entanto, e mesmo assim, nada indicia um desaceleramento. Pelo contrário. Os números apresentados indicam taxas de crescimento na ordem dos 26%.

Este é o panorama mundial da adopção do Hadoop. E em Portugal?

Para tentar perceber o real estado do mercado nacional o SAS elaborou um questionário. Os resultados preliminares indicam a maioria (61% dos inquiridos) não tem uma infra-estrutura que seja capaz de dar resposta aos novos desafios de processamento de informação. Apesar de esta ser uma informação preocupante  é atenuada pelo facto de 40% afirmar que já têm ou que estão a considerar ter uma iniciativa de Hadoop, como uma tecnologia complementar para responder às restrições das infra-estruturas actuais no que respeita a processamento da informação. Estes dados indicam que apesar de todos os constrangimentos económicos as empresas portuguesas estão a apostar na inovação.

Curiosamente as principais barreiras na adopção ao Hadoop são internas às próprias organizações. Nomeadamente a necessidade de recursos e competências  internas (com 36% das respostas), seguida do nível de maturidade das soluções com 29%. Para Rui Rosa este resultado não foi uma surpresa. Porque significa que os fornecedores, como SAS, dedicados ao suporte à decisão e analytics, ainda têm muito trabalho a fazer. Não só em explicar as vantagens da sua utilização mas também (e principalmente) em conseguir ultrapassar as barreiras identificadas.

E é aqui que entra uma das apostas do SAS: simplificar o Haddop, através da disponibilização do SAS Data Loader for Hadoop, que permite que os utilizadores acedam e trabalhem os dados sem terem necessidade de recorrer ao departamento de TI ou de ter conhecimentos técnicos. Sendo que há duas outras vantagens associadas: uma curva de aprendizagem reduzida e a minimizarão da movimentação de dados porque estes são executados no próprio ecossistema  Hadoop.

Webinar SAS & Hadoop“Esta é uma solução exclusivamente dedicada aos utilizadores finais para tratarem de grandes volumes de dados, estruturados ou não estruturados”, afirma Rui Rosa, referindo que a empresa tem tanta confiança na solução que a disponibiliza, gratuitamente, como trial, por 90 dias.

A informação foi disponibilizada aquando do webinar “SAS for Big Data and Hadoop”. Evento onde Pedro Dias, Business Solution no SAS, demostrou a facilidade da utilização do SAS Data Loader for Hadoop e explicou como este pode trazer valor acrescentado a funções não técnicas como gestor de marketing.

Ficou curioso? Gostaria de saber mais? Pode visualizar o webinar AQUI.

Deixar uma resposta