Streamed: Já não é Negócio vs IT mas sim Negócio a capacitar o IT

The New ITAlguém uma vez classificou o mundo em dois tipos de pessoas: aquelas que gostam de categorizar os outros em dois tipos e aquelas que não o fazem. Eu costumava ser uma dessas pessoas, do tipo que via os executivos como focados ou no negócio ou na tecnologia.

Tenho notado que outras pessoas também têm esta tendência. Não importa se estou a falar com os clientes sobre analíticas, CRM, dados ou digital. A pergunta que surge sempre é: “É da área de negócio ou de IT?”.
A questão da posse permeia o quotidiano das empresas a nível global. Parece que todo o mundo está focado no resto do mundo – quem deve possuí-lo? Quem o deve gerir? Quem deve ficar com os créditos? Quem o deve financiar?

Mas, ao observar empresas que eram eficazes na redução do tradicional fosso entre negócio e IT, detectei três características comuns:

  1. As empresas bem sucedidas tinham líderes que perceberam que a designação de pessoas ou a mudança da estrutra organizacional não era suficiente. As novas formas de fazer negócio eram fundamentais, e eram necessários novos processos para assegurar a adopção da mudança.
  2. Estas empresas encontraram as suas culturas onde elas estavam, trabalhando dentro das restrições (da estrutura do topo para a base e vice-versa) e assegurando que estes novos processos e regras de envolvimento eram suficientemente novos para serem “atraentes” mas não perturbadores ao ponto de causarem inércia ou sabotagem.
  3. Os líderes dessas empresas não abraçaram estas mudanças pelo seu próprio benefício. Pelo contrário, eles consideraram (e estão a considerar) a forma como tendências como o negócio digital estão a forçar novas abordagens para funções de negócios de longa data.

Usando a tendência da inovação e do negócio digital são os motores fundamentais para fazer as mudanças chave no IT. Eu escrevi sobre as prática que os líderes bem sucedidos adoptaram para não apenas transformar o TI mas também para arranjar novas formas de alavancar a tecnologia, para benefício do negócio. “The New IT: How Business Leaders are Enabling Strategy in th Digital Age” mostra as características dos agentes de mudança que emergiram das trincheiras para contar as suas histórias.

Escrevi sobre o que aprendi com estes líderes, incluindo:

  • Se o IT da sua empresa apenas tem duas velocidades então está em apuros.
  • A questão “Que tipo de CIO é?” não tem sentido. A verdadeira questão é “Que tipo de organização está a liderar e como deve parecer?”.
  • Colaborar pondo todos numa sala já não é o suficiente. (Na verdade é perigoso).
  • A estratégia corporativa e a estratégia do IT podem ser alinhadas numa única página.
  • A hierarquia está a ser substituída pela holocracia e homogeneidade com diversidade.
  • A Inovação não deve ser executada por uma equipa SWAT num edifício separado com almoços de sushi e cadeiras ergonómicas. Todos devem ser convidados a inovar.
  • As pessoas estão a falar mais sobre o digital do que a pô-lo em prática. Excepto talvez para quem circunscreve a disponibilização digital.
  • Não tem de estar em Silicon Valley para se juntar à revolução. Na verdade pode não querer lá estar!

Os perfis dos líderes no “The New IT” – incluindo líderes da Medtronic, Union Bank, Men’s Wearhouse, Swedish Health, Principal Financial, e Brooks Brothers, só para citar alguns – mostraram que já não se trata de negócio versus IT mas sim sobre o negócio a capacitar o IT. E vice-versa.

Jill DychéJill Dyché

Jill Dyché é oradora, autora e especialista na área de alinhamento entre o negócio e o IT. Escreve sobre o valor comercial da informação e análise.

Livro
The New IT: How Technology Leaders are Enabling Business Strategy in the Digital Age

A Jill Dyché participa também no eBook The Future Bright.

 

 

Deixar uma resposta